sábado, 3 de setembro de 2016

Vejam mais sobre Estética Facial
em:
http://esteticadaface.blogspot.com
e
http://esperanto.org/mesl/es/

Sobre Acupuntura e Auriculopuntura:
http://

terça-feira, 8 de maio de 2012

Odontologia do Esporte

TRAUMATISMO DENTAL NA PRÁTICA ESPORTIVA
PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA

 

Condição da Boca do Atleta após Acidente em Torneio


________________________________________
"Protetores dentais bem adaptados, feitos por profissionais, são recomendados para todos os esportes de contato ou com possibilidade de queda ou colisão." *
________________________________________
Se o atleta apresentou perda de consciência (desmaio), vômito ou tonteira, encaminhe-o imediatamente a um Hospital.
________________________________________
AVULSÃO (O Dente Inteiro Sai da Boca)
________________________________________
1. Evite traumatizar ainda mais o dente, no seu manuseio. NÃO segure o dente pela raiz. Segure só pela coroa (a parte branca do dente). Não escove ou raspe o dente.
Não desinfete ou esterilize o dente.
2. Se houver farelos na boca, bocheche delicadamente com água.
3. Se possível, imediatamente, reimplante o dente em seu lugar, devendo o atleta morder uma gaze ou lenço, para mantê-lo estável.
Se o dente estiver sujo (terra, grama), segurando pela coroa, lave-o com soro fisiológico (na falta deste, use água) e reimplante imediatamente.
Somente recoloque o dente se o atleta estiver consciente e alerta. Nunca tente reimplantar um "dente de leite".
4. Se não for possível o reimplante:
Melhor opção - Coloque o dente na boca do atleta, entre os dentes e o lábio.
2ª opção - Coloque o dente em saliva (copinho descartável ou xícara).
3ª opção - Coloque o dente no leite.
4ª opção - Transporte o dente em uma gaze molhada, de preferência com soro.
5ª opção - Coloque o dente em um copinho com água. (Pior opção)
O Tempo é MUITO importante. Reimplantes realizados dentro do prazo de 30 minutos têm maior chance de sucesso.
TRANSPORTE IMEDIATAMENTE AO DENTISTA.
________________________________________
LUXAÇÃO (Dente preso na gengiva, mas mole ou fora de posição)
________________________________________
TRÊS POSIÇÕES
EXTRUSÃO DENTAL - Os dentes superiores estão descidos e/ou os dentes inferiores parecem crescidos.
1. Reposicione o(s) dente(s) em seu local, por uma pressão firme com os dedos.
2. Estabilize os dentes fazendo o atleta morder - delicadamente - uma gaze, lenço ou guardanapo.
3. TRANSPORTE IMEDIATAMENTE AO DENTISTA
DESLOCAMENTO LATERAL - Dente empurrado para dentro ou deslocado para a frente.
1. Tente reposicionar o dente, usando pressão manual. Se não funcionar:
2. Pode ser necessário uma anestesia local para o reposicionamento.
3. TRANSPORTE IMEDIATAMENTE AO DENTISTA
INTRUSÃO DENTAL - Dente afundado na gengiva - parece curto.
1. Não faça NADA - evite tentar reposicionar o dente.
2. TRANSPORTE IMEDIATAMENTE AO DENTISTA
________________________________________
FRATURA (Dente Quebrado)
________________________________________
1. Se a metade do dente estiver partida, recolha a parte quebrada e leve ao consultório odontológico, conforme descrito sob Avulsão, Item 4.
Estabilize a parte do dente que ficou na boca, mordendo - delicadamente - uma gaze, guardanapo ou lenço, para controlar o sangramento.
2. Se houver uma dor muito forte, evite contato com outro dente, língua, ar ou água.
A Polpa deve estar exposta, o que é extremamente doloroso para o atleta.
3. TRANSPORTE IMEDIATAMENTE PACIENTE E FRAGMENTOS DENTAIS AO DENTISTA
________________________________________
"PROTETORES BUCAIS DEVIDAMENTE AJUSTADOS
DEVERIAM SER EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS"
*
________________________________________
Tradução e adaptação: Dr. Roberto Resende, com permissão da
* Academia Americana de Odontologia Esportiva

Contamos com a chancela do CREF-7, que dá suporte ao nosso trabalho.
Fazemos palestras grauitas em Clubes, Academias, Escolas e Faculdades.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Ronco

Vários fatores são associados ao ronco.
Todos eles referentes a obstrução das vias aéreas.
Pais devem consultar o dentista, ortodontista ou otorrino sobre o tamanho das adenoides e das amígdalas.
A revista científica online Respiratory Research acaba de publicar que o ronco e apnéia do sono parecem estar relacionadas ao contacto na primeira infância com animais de estimação, especialmente cachorro.
Aparelhos desenvolvidos por dentistas têm ajudado muito a pacientes portadores desses problemas.
O tratamento cirúrgico também é uma opção.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Cárie é doença. Não é buraco!

Embora poucos acreditem, o processo da doença cárie é muuuuuuuuuuuuuuuuuito lento e, para a doença se manifestar, leva mais de um ano. (Ou seja: a pessoa poderia ter prevenido, ou invertido a situação.
Para isso, teve 1 ano inteiro!).
Tudo começa com a contaminação com o micróbio que causa a cárie: um bandido conhecido pelo nome de Streptococcus mutans. Ele se mistura com outros micróbios da Placa Microbiana (também chamada Placa Dental) que vai fabricando cola e se grudando nos dentes. É meio amarelada, gelatinosa e meio transparente. (ou seja: na prática, é praticamente invisível).
Uma vez organizada, a placa começa a produzir ácidos.
O pH da placa vai baixando, baixando e, quando chega perto de 5 , o meio fica tão ácido que os próprios micróbios começam a morrer.
Bem, isso os micróbios mais bobos. Porque o Streptococcus mutans continua a produzir ácido, mesmo em baixo pH.
Com o pH baixo, começam a sair íons de Cálcio de dentro do esmalte do dente (que é a substância mais dura do corpo humano).
=> é a DESMINERALIZAÇÃO
Horas depois, quando o pH volta ao normal (mais próximo de 7) as forças de defesa do organismo (como uns bombeiros) começam a fazer passar sais de Cálcio para dentro do dente de volta. => a REMINERALIZAÇÃO
Se a pessoa dá trégua ao dente com longos períodos sem ingestão de açúcares, ou remove a placa completamente, o dente é remineralizado e a cavidade não aparece, voltando a ser esmalte brilhante de novo.
(É, cárie é reversível !!!)
Se, porém, a pessoa não toma providências, o esmalte vai ficando poroso, perde o brilho e vai ficando opaco – aparecem manchas esbranquiçadas – depois, essas manchas vão ficando amarronzadas e, finalmente, no final do processo, o esmalte se rompe, aparecendo uma cavidade.
Aí, os dentistas antigos olhavam e diziam : - Está com cárie !
...Pura mentira. Na verdade, eles deveriam dizer: -Esteve com cárie, por mais de 1 ano. Agora, como conseqüência, apareceu um buraco!
O buraco (a cavidade) não é a doença, mas só o resultado. Um sinal que ali teve doença.
E o pior de tudo é que se “tratar”, se tampar o buraco, a doença cárie continua da mesma forma, pois ela independe do buraco!

...mas, sobre isso, vamos falar na próxima semana ;-)

domingo, 22 de junho de 2008

CÁRIE

Doença microbiana causada pelo “Streptococcus mutans” que se grudam aos dentes (por meio de polissacarídeos extra-celulares = cola mesmo), metabolizando açúcares e transformando-os em ácido.
É o mesmo processo de se fazer álcool ou cachaça: o açúcar é colocado em tonéis (meus primos ainda colocam em “coxos” de madeira, até hoje) que são fermentados pelas bactérias e transformam o caldo-de-cana numa substância ácida e mau-cheirosa, que depois de destilada transforma-se em álcool ou água-ardente.

Aqueles porquinhos que não escovam os dentes, ou melhor, que só espanam os dentes, têm o mesmo cheiro, notado quando conversam com alguém.

5 Problemas Graves

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, são 5 os problemas de Saúde Pública na Odontologia:
Cárie Dentária;
Doenças Periodontais (gengivais, piorréia, parodontopatias);
Má-oclusão (defeito na oclusão, mastigação, alinhamento dos dentes, problemas ortodônticos);
Câncer Oral (câncer de boca);
Malformações Congênitas (fendas labiais, lábio leporino).